terça-feira, 13 de novembro de 2012

CONVENIO REAL ARCO E ORDEM DEMOLAY







Foi celebrado no sábado (29/09/12) um convênio entre o Supremo Grande Capítulo de Maçons do Real Arco e o Supremo Conselho da Ordem DeMolay para República Federativa do Brasil que aproxima os laços entre as duas instituições. No Rio de Janeiro, Ederson Velasquez, representando o SCODRFB, e Paulo Roberto Curi, representando o Real Arco, firmaram a parceria que cria um fundo de apoio financeiro dentro do Supremo Grande Capítulo para investimentos na Ordem DeMolay.

De acordo com Velasquez, essa aproximação consolida a relação colaborativa já existente entre Real Arco e Ordem DeMolay em nível internacional. “O acordo prevê que parte das taxas pagas ao Real Arco por Mestres Maçons envolvidos com a Ordem DeMolay seja revertida em patrocínio de projetos da nossa Ordem”, afirma o Grande Mestre Nacional. O relacionamento entre Real Arco e Ordem DeMolay vem dos primórdios da organização juvenil, quando seu fundador, Frank Sherman Land, utilizou ritos do Real Arco como base para a construção da estrutura ritualística da Ordem DeMolay.

“Agradeço ao ‘tio’ Curi pela bela visão que ele está tendo sobre o futuro do Rito de York, incentivando os DeMolays a participar do Real Arco”, cita Velasquez, em referência ao Grande Secretário Geral do Supremo Grande Capítulo de Maçons do Real Arco do Brasil, Paulo Roberto Curi. Além do incentivo ao ingresso de Seniores DeMolays e Maçons ligados à Ordem no Real Arco, o convênio firmado também beneficia, indiretamente, a Ordem DeMolay. “O fundo será administrado por uma comissão formada de membros da Ordem DeMolay que já são membros do Real Arco, e que apresentarão relatórios periódicos sobre a evolução do fundo às lideranças de ambas as organizações”, explica o Grande Mestre da Ordem DeMolay.
Agradeço ainda aos ‘irmãos’ Kennyo Ismail e Anderson Verçosa por todo apoio a este novo caminho em que os DeMolays devem seguir. Em breve, iremos disponibilizar as fichas de inscrições e folders explicativos para que os Estados possam trabalhar”, completa Velasquez.

FONTE: aqui




Nenhum comentário:

Postar um comentário