sábado, 17 de novembro de 2012

PARAIBANOS NO ANIVERSARIO DA ARLS AUGUSTO SIMOES nº 26 GLERN 10/11/2012




No sábado dia 10/11/2012, comitiva de IIr.'.  do Oriente de João Pessoa-PB membros da GLEPB e do Capítulo Portal da Luz do Nordeste nº 05 SGCMRAB esteve no Oriente de Natal-RN, a convite da Diretoria da A.'.R.'.L.'.S.'. Augusto Simões nº 26 GLERN, para comemorar o 10º natalício de fundação da Oficina. Os trabalhos foram presididos pelo Venerável Mestre, Ir.'. Julio César de Barros Reis.

O convidado de honra foi o Ir.'. Edgard Bartolini Filho, neto de Augusto Simões, patrono da Loja. Com ele, para lá se deslocaram os IIr.'. Petró, Wilson Magalhães e Evaristo José Braga Cavalcante, Sumo Sacerdote do Capítulo pessoense do Rito de York americano.


















Augusto Simões



Vida Profana: o Irmão Augusto Simões nasceu na localidade de Cuité de Guarabira-PB (atual Município de Cuitegi), no dia 20 de setembro de 1884. Era filho de Manoel Pereira da Silva Simões e Antônia Marciana da Conceição e Silva. Passou toda a infância e adolescência em companhia de seus pais, os quais fixaram residência na cidade de Guarabira, onde estudou e concluiu os cursos básicos (primário, ginásio e contabilidade comercial). 

Iniciou sua vida profissional como auxiliar de comércio numa loja de varejos daquela cidade. Em 1908, ingressou no serviço público, passando, após alguns anos a integrar o quadro de servidores da antiga Inspetoria Nacional de Obras Contra as Secas (atual DNOCS), passando a exercer suas atividades em toda a região do brejo paraibano. No ano de 1912, foi transferido para a capital da província (Parahyba do Norte, hoje João Pessoa), lá ficando até o final dos seus dias. Registre-se, ainda, que por força de suas atividades profissionais, residiu, por um pequeno espaço de tempo (1931/1934) na cidade do Recife-PE.

Augusto Simões, na data de 06 de fevereiro de 1909, contraiu matrimônio com a Sra. Julieta de Almeida Simões, nascida em 1885 e falecida em 1982, gerando, dessa feliz união, os seguintes filhos: Luzia Simões Bartolini (1911/1978); José Justino de Almeida Simões (1912/1992); Augusto de Almeida Simões (1914/2002); Helena Simões de Carvalho Santos (1916/1955); Agnaldo de Almeida Simões (1917/1919); Reinaldo de Almeida Simões (1921/2001); e, Manuel de Almeida Simões (1924/2004).

Faleceu na Capital paraibana no dia de 24 de agosto de 1944, vítima de colapso cardíaco fulminante, sendo o seu corpo velado na Loja Maçônica “Branca Dias” e o seu sepultamento se deu no cemitério de Cuitegí. Atualmente, os seus restos mortais se encontram depositados no jazigo da família Simões, no Cemitério Senhor da Boa Sentença, em João Pessoa.

Vida Maçônica: Augusto Simões foi Iniciado em nossos augustos mistérios na Loja Maçônica “Regeneração do Norte”, à época pertence ao Grande Oriente do Brasil (GOB), no dia 20 de novembro de 1911, sendo Elevado na data de 18 de março de 1912, e Exaltado em 22 de outubro daquele mesmo ano.

No ano de 1914, ingressou nos Graus Filosóficos, sendo sagrado Inspetor Geral da Ordem – Grau 33º, em data de 30 de junho de 1916, na cidade do Recife – PE. Neste mesmo ano, foi designado Grande Inspetor Litúrgico para as Províncias da Paraíba e do Rio Grande do Norte, além de Grande Representante junto às diversas Potências Internacionais.

Na data de 10 de janeiro de 1918, fundou a Loja Capitular “Branca Dias”, destinada à prática dos Graus Superiores do Rito Adoniramita. Com o início da construção do prédio daquela Oficina, foi, juntamente com os maçons da época, combatido e perseguido pelos membros do clero paraibano, que não se conformaram em ver uma loja maçônica não só na mesma rua do principal templo católico da cidade (Igreja da Catedral), como, praticamente, ao lado do tradicional e histórico Mosteiro de São Bento. 

Poucos anos depois, acompanhado de vários IIr.'., resolveu se desligar do Grande Oriente do Brasil, fundando a “Grande Loja Symbolica Escocesa Soberana para o Estado da Parahyba”, atual Grande Loja Maçônica do Estado da Paraíba, cuja sessão de fundação deu-se em 24 de agosto de 1927, ocasião em que foi escolhido Grão-Mestre, cargo esse imediatamente por ele recusado. Então, os IIr.'., presentes à reunião, por unanimidade, o homenagearam com a distinção de Grão-Mestre “ad vitam”.

O Ir.'. Augusto Simões ainda hoje é reconhecido através de diversas honrarias maçônicas a ele outorgadas – muitas das quais após o seu óbito - pelas Grandes Lojas pioneiras do país, pelo Grande Oriente do Brasil e por Potências Internacionais reconhecidas, fato bastante raro, principalmente quando se leva em consideração a época em que ele viveu. Destaca-se ainda na Paraíba a homenagem prestada pelos maçons de Oriente de Patos (PB), cuja Oficina, jurisdicionada à GLEPB é possuidora do seu nome, o perpetuando para todo o sempre. 

Fonte: aqui


Nenhum comentário:

Postar um comentário